Avançar para o conteúdo principal

Como entreter as crianças de borla?


Muitas vezes, os pais não sabem o que fazer para entreter os filhos, sobretudo quando as alternativas mais comuns falham ou quando os programas já se repetiram tantas vezes que deixaram de ter piada.
A ideia de que é preciso gastar dinheiro ou enfrentar trânsito e stress para as crianças se divertirem não podia estar mais errada. Tudo o que os mais novos querem é passar umas horas divertidas, especialmente com os pais, em jogos e gargalhadas que, se forem bem programados, normalmente não custam um cêntimo e dão prazer a toda a família.

Aqui ficam algumas sugestões.

Sugestão 1: toca a sair
Fazer uma caminhada (como aquela proposta pelo Refúgio Amigo Fiel, por exemplo) ou andar de bicicleta em locais tranquilos e seguros são, certamente, atividades que agradam tanto aos mais novos como aos pais e são uma oportunidade para praticarem exercício e para ficarem mais saudáveis.
 
Sugestão 2: toca a adivinhar
Brinquem ao adivinha com as crianças. Tentem adivinhar o que o outro está a pensar. O tema pode ser música, animais, comida, etc. É divertido. Pode ser feito em qualquer lado e, mais importante, exercita o cérebro.
 
Sugestão 3: toca a lançar os dados
Existem inúmeros jogos de tabuleiro que as crianças adoram jogar, mas só se jogar com elas. Aproveite para lembrar a infância e como brincava com os seus amigos ou com os seus pais. Conte às crianças enquanto joga e elas irão adorar, pois gostam de ouvir histórias.
 
Sugestão 4: toca a construir
Ajude o seu filho a construir com legos. Misturem as peças todas em cima de uma manta macia ou de um lençol, deitem fora as instruções de cada coleção. Agora inventem veículos, casas, naves, etc. A criança ficará em delírio se a desafiar (e ajudar) a tentar reproduzir coisas do quotidiano que lhe são familiares, tão simples como o vosso carro, a mesa onde come. Experimente e verá. Os legos são talvez dos brinquedos mais didáticos que existem. Ajudam a exercitar a criatividade e o génio.
 
Sugestão 5: toca a cozinhar
Faça uma sessão de culinária com as crianças. Elas adoram. Ponha as crianças a mexer na massa de bolos ou a lavar e cozinhar os legumes, ao mesmo tempo que lhes explica que legumes são. Esta brincadeira pode tornar-se altamente pedagógica, basta que aproveite para lhes explicar, por exemplo: os perigos que existem quando se cozinha e como fazê-lo com segurança; a importância dos alimentos; a necessidade de saberem cozinhar para não dependerem de ninguém quando adultos; a alegria de cozinhar para receber amigos e família.
 
Sugestão 6: toca a ser botânicos
Visite com os seus filhos uma horta ou uma estufa de flores e plantas. Há algumas lojas de plantas que têm um espaço ao ar livre com flora riquíssima. Ensine-lhes o nome de muitas dessas plantas e flores. Escusado será dizer a importância do conhecimento que se pode retirar desta brincadeira, bem como da sensibilização para o ambiente. 
 
Sugestão 7: toca a ir à biblioteca
Visite uma biblioteca com as crianças. Elas vão adorar. Escolham juntos alguns livros. Leiam ali mesmo na biblioteca ou tragam para casa. As vantagens de transformar a leitura num hábito diário são mais do que muitas.
 
Sugestão 8: toca a saber quem é quem na família
Façam uma árvore geneológica. Assim eles começam a perceber as gerações passadas e as suas origens. Esta diversão pode durar um fim de semana. Arranje tantas fotos quanto consiga dos avós, tios, primos, etc. Tudo serve para escolher uma e recortar. Deixe-os fazer a árvore, começando por uma foto deles próprios, de cima para baixo. Escolha uma superfície grande. No final, se conseguir e puder, emoldure, nem que seja numa moldura de um quadro que já não use. Eles vão gostar de pendurar na parede um quadro com todos os membros da família e vão querer mostrar às visitas.
 
Sugestão 9: toca a cantar
Karaoke com pontuação. É muito divertido e não é preciso ter uma consola tipo playstation ou uma wii. Basta ligar-se à Internet. Cantar sempre fez bem à alma, se o fizer com os miúdos eles vão adorar e você também vai sentir a diversão.


Regra de ouro para entreter os seus filhos
 
A lista em cima contém 9 sugestões, mas podiam ser muitas mais. O importante a ter em conta é que as crianças não precisam de atividades sofisticadas, mas sim de se sentirem amadas e acompanhadas. Brincadeiras tão simples como um jogo do galo pode arrancar sorrisos, gargalhadas e boa disposição durante vários minutos. Na maioria das brincadeiras é possível transmitir cultura, conhecimento e, mais importante, reforçar a autoestima e a segurança. Por isso, em qualquer atividade que os seus filhos façam, você deve participar sempre que possível e entreter-se genuinamente com eles.
 
(adaptação do artigo Como entreter os filhos de borla? Digo-vos aqui e agora, escrito por Ana Areal e publicado no jornal Expresso, em 22/6/2010)
 
 
 
 

Mensagens populares deste blogue

Duas sugestões para os últimos dias de férias das crianças.

As férias dos miúdos ainda não terminaram e já não sabe que atividades lhes pode proporcionar nestas últimas semanas. Deixamos duas sugestões para a família, que permitem ocupar as crianças de forma lúdica e, simultaneamente, didática. Explore as hiperligações.

1. Associação Pato | Defesa do Paúl de Tornada


A Associação de Defesa do Paul de Tornada – PATO é uma organização não governamental de ambiente, que luta pela preservação e recuperação ecológica do Paul de Tornada bem como pelo desenvolvimento sustentável da região litoral oeste e que dinamiza atividades adequadas a todas as faixas etárias ao longo do ano.

2. Bambilocas | Quinta Pedagógica

Situada no Vale Covo e aberta ao público desde abril, a Quinta Pedagógica Bambilocas ajuda a proporcionar experiências e conhecimentos inesquecíveis aos mais pequenos, mas também aos pais. Conteúdo relacionado - Como entreter as crianças de borla?

Formação José Pacheco | Transformação Vivencial

Transformação Vivencial
Reconfiguração da prática pedagógica
Construção de Comunidades de Aprendizagem
Através da experiência transformadora do Professor José Pacheco, fundador do projeto em curso, desde há 42 anos, na Escola da Ponte, e com o apoio da equipa EcoHabitare, esta ação pretende desencadear uma profunda transformação pessoal e profissional de educadores, visando a reconfiguração da prática pedagógica. Formulário de inscrição

Conteúdo relacionado
- Transformação Vivencial Reconfiguração da prática pedagógica

“É importante treinar a criança a ficar na tarefa, a colocar nela mais esforço e investimento”.

Ana Salgado, psicóloga e especialista em Psicologia da Educação, em entrevista ao EDUCARE.PT, lembra aos pais que a educação se faz também pelo exemplo. E explica como as birras das crianças não as devem fazer perder “oportunidades de aprendizagem”.
Créditos: educare.pt

Ler